ff

Blog do Sarico - (54) 8135 1778 - fabiocrestani11@gmail.com
terça-feira, 28 de setembro de 2010
Mal educado


Certa vez, conversando com a mãe de um amigo sobre a limpeza pública em Tapera, ela me disse que o taperense não é educado para esta questão, para manter limpo a sua cidade. Na hora achei um exagero sua afirmação. Mas, olhando as ruas nas segundas-feiras e dias de pós-feriados, cedo da manhã, começo a acreditar que a mulher estava certa. Quem passa pela Avenida XV de Novembro nestes dias verá muita sujeira na via e isso acontece exatamente onde os vários grupos se reúnem para conversar, apreciar o “movimento” e beber. O pior de tudo é que as pessoas deixam o seu lixo – garrafas, litros, copos plásticos, cacos de vidro, sacos plásticos, resto de isopor, palito e papel de picolé, entre outras coisas – próximos das lixeiras, que estão dispostas ao longo da avenida. Se temos lixeiras próximas a nós e não levamos o lixo até ela, preferindo atirá-lo ao chão, o que somos?

Quando era pequeno existia um adesivo – decalque, para quem é daquela época – no pára-brisa dos carros com a imagem do Sugismundo, o homem mais sujo do mundo e que não respeita o meio ambiente. Abaixo da “especialidade”, com letras grandes, havia o seguinte dizer: “POVO DESENVOLVIDO É POVO LIMPO”.

O que Tapera poderia fazer para que o taperense tivesse em mente que lugar de lixo é no lixo e não na via pública? A proteção e a beleza de onde vivemos é uma questão de educação, sim.

DANO – No domingo à tarde alguém, certamente com muita ocupação, arrancou quatro pés de flores do canteiro da avenida em frente a Benoit e os posicionou simetricamente no seu contorno. Além de estragar o canteiro o “ocupado” contribuiu para sujar ainda mais a cidade e também deixá-la feia.

A depredação de bens públicos e o descaso com a limpeza pública são dois “pregos” que o taperense carrega cravado no corpo. Não são todos os taperenses, claro, mas temos estes graves problemas em nosso meio.

A mulher tinha ou não razão?

Não sei, mas de repente a administração municipal pensasse em algo que pudesse constranger quem, no centro da cidade, não tem o hábito de jogar o lixo no lixo. Placas e cartazes ou alguma coisa assim. Garanto que, se alguém consciente ver este material e também ver alguém jogando lixo no chão, com certeza irá pedir para que leve tudo até a cesta mais próxima. Poderíamos começar por ai, mas se aparecer algo melhor, melhor.

Postado por Sarico as 21:11 e tem 4 comentarios
4 Comments:
Anonymous Anônimo disse...

A mulher tem razão sim, e mais onde há um terreno baldio na cidade a vizinhança já entende que pode levar lixo naquele local, ninguém merece. LUGAR DE LIXO É NO LIXO. Cada um que tome as providências quanto ao seu lixo. FALTA DE EDUCAÇÃO, não tem outra definição.

29 de setembro de 2010 12:00  
Anonymous Anônimo disse...

O Sarico tem razão. Bota povo porco nisso. certamente as janelas de suas casas são pontos de lançamento de lixo p/tudo q é lado.

29 de setembro de 2010 12:29  
Anonymous Anônimo disse...

Talvez esse povo coloca lixo pq sabe que há uma empresa ganhando muito dinheiro da prefeitura para fazer limpeza em Tapera. Favores políticos. Em troca de enganar os companheiros dos partidos. Se venderam.

29 de setembro de 2010 17:28  
Anonymous Anônimo disse...

IGNORANTE: NÃO EXISTE OUTRO ADJETIVO PARA O DAS 17,28. ou sem vergonha mesmo.

29 de setembro de 2010 21:49  

Postar um comentário

Voltar ao blog



Posts mais recentes Posts mais antigos

 
Google
 

?timos Posts

FRASE DO DIA
Controle interno em Brasília
Imprensa desunida
Quase nunca erramos o silenciarmos
América goleia e se classifica
Clarissa Mombelli na TVCOM
Placas políticas no chão
Candidatos
Terremotos
Quem ganha?

Arquivos

Agosto 2010 Setembro 2010 Outubro 2010 Novembro 2010 Dezembro 2010 Janeiro 2011 Fevereiro 2011 Março 2011 Abril 2011 Maio 2011 Junho 2011 Julho 2011 Agosto 2011 Setembro 2011 Outubro 2011 Novembro 2011 Dezembro 2011 Janeiro 2012 Fevereiro 2012 Março 2012 Abril 2012

 

 

 

WM INTERNET