ff

Blog do Sarico - (54) 8135 1778 - fabiocrestani11@gmail.com
sexta-feira, 10 de dezembro de 2010
A NECESSÁRIA INDUSTRIALIZAÇÃO

José Teodoro Kunzler*


Temos visto uma ferrenha guerra fiscal entre estados, todos em busca da industrialização e isso não é por pura beleza, mas porque toda a atividade industrial concentra grande valor agregado, por isso a disputa de estados por grandes parques industriais. Foi o caso recente da expansão das montadoras de automóveis, que ainda hoje são disputados pelos estados a custas de grandes incentivos fiscais.

O RS após perder a Ford para a Bahia (eles agradecem até hoje), conseguiu a GM à custa de pesados incentivos, criticados pela sociedade na época, porém o retorno proporcionado pela empresa já superou tais incentivos e hoje a GM trabalha no projeto de duplicação da planta industrial, que representará mais retorno em impostos, empregos e empreendimentos à sua volta.

Na nossa região os efeitos da industrialização são visíveis. Os municípios que investiram na industrialização, mesmo sendo da mesma idade de nosso município (Ibirubá, Marau, Não Me Toque, etc) cresceram mais, mas muito mais do que Tapera, graças à visão empreendedora de seus munícipes, certamente incentivados pelo Poder Público, não necessariamente com liberação de recursos para seus empreendimentos, mas muitas vezes criando em seus municípios o ambiente favorável à industrialização fruto de uma visão para o futuro.

Em Tapera, desde 27 de novembro de 1997, está em vigor a Lei nº 1.663/97, que cria o Programa de Expansão ao Desenvolvimento Econômico, Industrial e Social do Município, que concede às empresas industriais a isenção de algumas taxas, impostos, ressarcimento de aluguéis, apoio de infra-estrutura básica, entre outros.

A mesma Lei em seu Art. 14, reza que “Anualmente o Poder Executivo destinará recursos para o atendimento das despesas decorrentes da Implantação deste Programa, conforme dispuser o Plano Plurianual do Município e a Lei de Diretrizes Orçamentárias”, o que equivale dizer que poderia o Município ter um Fundo para o atendimento de gestões nesta área.

O Município de Tapera, respaldado pelo Conselho de Desenvolvimento encaminhou projeto de lei ao Legislativo, propondo a concessão de incentivos à duas empresas industriais de Tapera. O projeto ganhou proporções, estranhamente polêmicas, pois a Lei que respalda tais questões está prestes à completar 13 anos.

O Projeto atende ao pedido fundamentado das empresas, que encaminharam seus projetos de acordo com os requisitos citados na própria lei, e visam o aumento de arrecadação do município e a ampliação de postos de trabalho, tudo isto no setor industrial, o que repete-se, tem alto potencial de retorno para o município.

Uma das empresas atua do setor metal mecânico, justamente o foco dos municípios de Ibirubá e Não Me Toque, sendo que este último leva de Tapera diariamente três ônibus de trabalhadores, devido à falta de mão de obra em seu município.

Este setor está elencado como potencialidade da nossa região, conforme o Planejamento Estratégico de Desenvolvimento Regional, pg. 77, elaborado pelo Corede Alto Jacuí, obra recentemente distribuída aos municípios, sendo este planejamento importante ferramenta para os gestores públicos criarem ambientes para que haja a industrialização de seus municípios dentro das suas potencialidades. A nossa microrregião definiu nesta ordem as potencialidades: Agroindústria, Setor Metal Mecânico, Educação, Saneamento e Agricultura.

Tem-se ouvido falar, que muitos municípios não querem a industrialização por que atrás disso vem a proliferação de vilas, que demandam mais ações na assistência social. Preferem pelo jeito ficar esperando o retorno do FPM para tocar sua máquina administrativa, e com o que sobra alguma política social, geralmente insuficiente. Muitos alegam que não têm mão de obra e esta mão de obra vinda de fora aumenta seu problema de infra-estrutura e social. São as cidades-dormitórios. Alguma semelhança com o nosso município não é mera coincidência.

Respeitável esta posição, mas este pensamento não se coaduna com o potencial de nossa região, pois se temos mais indústrias teremos na proporção mais recursos para fazer o social-estrutural.

Logicamente não se pode falar em industrialização em nossa região trazendo empresas do porte de uma montadora de automóveis, pois efetivamente não há infra-estrutura urbana nem social para atender os funcionários de empresas tão grandes.

Fechar as portas para empreendimentos menores não se justifica, pois os mesmos se pagam com o tempo e o retorno que os municípios recebem, podem ser aplicados exatamente no município. Os empregos se tornam mais qualificados e os salários melhoram. Hoje dependemos de uma ou duas médias empregadoras em Tapera, cujos empregos são variáveis, pois dependem dos produtos primários e variações cambiais. A prova disso é que não temos mão de obra no município, sendo que exportamos para outros municípios, diariamente em torno de 100 pessoas. Porque não criar condições para estas pessoas trabalharem aqui?

As ações que o município como um todo está proporcionando e até a própria ACIT, oferecendo à seus associados vários cursos de capacitação, tendem a qualificar nossa mão de obra no setor comercial, porém isto só não basta, temos que ser mais ousados, mais empreendedores, aplicando recursos no município e o município através de seus poderes serem arrojados, corajosos, pois o mérito não está em errar, está em não tentar.

Por isso, voltando à polêmica desnecessariamente criada, a mesma poderia ter sido evitada se a Lei fosse cumprida desde 1997.

Cabem aos empresários e aos Governantes responsáveis criar mecanismos para o nosso desenvolvimento. A Prefeitura realizou a poucos dias uma reunião com o Conselho de Desenvolvimento, Secretários ligados aos setor de economia e Vereadores, tentando uma mobilização neste sentido, e o primeiro resultado foi a aprovação de dois projetos pela Câmara de Vereadores, que entendeu o propósito do encontro. Que surjam novos empreendedores.

A responsabilidade de todos na geração de emprego, é uma preocupação constante de pais que tem seus filhos sem perspectivas de crescimento no nosso município. Se você é alguém que se enquadra nesta condição ou tem algum familiar que se enquadra, mexa-se. Ou seu filho vai ter que trabalhar fora daqui.

* Presidente da ACIT e do CODE – Conselho Municipal de Desenvolvimento

Postado por Sarico as 08:05 e tem 10 comentarios
10 Comments:
Anonymous Anônimo disse...

Aprendi desde sedo,trabalho desde os 12 anos,hj tenho 24 e sei perfeitamente c eu quizer alguma coisa presciso procurar fora de tapera.....Me tapera poderia ser um ponto de referencia fundamental para nossa regiao mas é como dizem na hora de votar o pessoal só quer saber de colocar os mesmos na prefeitura aonde acabam passando quatro anos e nada muda.C me lembro muito bm a tempos atras erra pra c instlar uma empresa grande na area do distrito industrial mas como a prefeitura naum quiz abrir mao de alguns impostos acabaram partindo para outra cidade,sem falar q havia um projeto para q tapera tivesse um compus da ulbra em nosso municipio mas tmbm naum aprovaram,ai me pergunto pq,oq impedia...em seu nestor e seu brunori????

10 de dezembro de 2010 09:23  
Anonymous Anônimo disse...

ola tudo bm,c referindo a esse assunto imagine mais ou menos 100 pessoas indo todo o dia a NMT trabalhar ganhando de 750 a 850 limpo mais um vale alimentaçao todos os dia de 180 o limite mensal trabalhando 8 horas,em uma empresa q lhe oferece de tudo para trabalhar e q era para ter c instalado em nosso municipio crescendo cada vez mais,mas por culpa de pessoas q só pensam em si ai perdem esse tipo de empresas c acomodam e só pensam em si...

10 de dezembro de 2010 09:29  
Anonymous Mauricio disse...

Por favor mais vila NÃO , Tapera já esta cercada por vilas , criadas por politicos, sem caráter ,e aí fica a miséria para Tapera , concordo em trazer novas empresas , mas proibir novas familias se instalarem aqui sem condições de moradia e saúde , vamos dar emprego para quem mora aqui , e aí vem a questão fundamental , que em uma reunião do Sr Ireneu orth e vice lá no tenarião antes das eleiçoes , que o sr atual Prefeito falou , que é fundamental criar cursos profissionalizantes , para depois instalar novas empresas , e aí !!

10 de dezembro de 2010 10:42  
Anonymous Anônimo disse...

Na campanha municipal de 2008, a Aliança Democrática (PP, PMDB, PDT e PSB), propagou aos quatro ventos a retomada do desenvolvimento em Tapera. Estamos fechando metade do mandato do atual governo e cadê a retomada? Ficará para a segunda metade?

10 de dezembro de 2010 10:51  
Anonymous Anônimo disse...

Os taperenses estão muito preocupados com o seu futuro e o do seu município, mas vai haver quem ache que o povo taperense é ingrato, que é isso e aquilo. Também, que ver a cidade bonita basta. DESENVOLVIMENTO (empregos), JÁ!

10 de dezembro de 2010 14:55  
Anonymous Anônimo disse...

Tapera também investiu em Industria, só que nessa porcaria do Cortume que quando quebrou, deviam ter passado uma esteira nno prédio, pra nunca mais alguem ver. opções erradas dá nisso

10 de dezembro de 2010 16:21  
Anonymous Anônimo disse...

Concordo Plenamente em todos os sentidos , QUE ESTE CURTUME PEGUE SEUS DIRETORES E SEUS ESGOTOS E VÃO PRO ACRE , E VAMOS COMEÇAR UMA TAPERA LIMPA E COM SAUDE , VAMOS CONSTRUIR UM LAGO E UM CAMINHODROMO NO LOCAL , ASSIM ESTE LUGAR PASSA A DAR SAUDE E NÃO TIRAR !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

10 de dezembro de 2010 17:27  
Anonymous Anônimo disse...

só que falta comparar agora tapera com não me toque. Por exemplo olha só os campeonatos que sai em nao me toque e olha os campeonatos que sai em tapera. é uma vergonha.
mas agora no futsal, tale América. Não me toque perde pra Tapera.

10 de dezembro de 2010 21:36  
Anonymous Anônimo disse...

O comentarista das 10,51 do dia 10-12, não esta atento a realidade, ou não entendeu o comentário do Presidente da Acit. Quando ele fala em Prefeitura, ele fala do atual prefeito Ireneu Orth, que chamou os vereadores, representantes do comercio etc. para colocar da necessidade de se investir na geração de emprego e renda, através da industrialização, após esta esplanação, os vereadores presentes na reunião, alguns não foram embora convidados, votaram o projeto, que estava na camara a algums semanas. Apartir desta votação, duas empresas que ja estão atuando em Tapera, por esforço da atual administração, passam a receber incentivos. Foi o primeiro passo neste sentido, mais empresas devem estar na fila aguardando, evidente que devem se adequar a legislação. Importante, a atual administração esta chegando na metade do seu mandato, e praticamente vem cumprido a todas as suas promessas de campanha, muitas ja concluidas e outras em andamento.

10 de dezembro de 2010 22:33  
Anonymous Anônimo disse...

Para o das 22h33min do dia 10:
Nós ficamos felizes, então, porque tudo acontecerá na segunda metade de governo. Afinal, eu votei numa proposta, a que achei melhor.

11 de dezembro de 2010 00:09  

Postar um comentário

Voltar ao blog



Posts mais recentes Posts mais antigos

 
Google
 

?timos Posts

Ornamentação natalina
Vandalismo continua em Tapera
Escolhidos os melhores da Segunda Divisão de Futsa...
O perigo de uma decisão
Dupla
Os “cachorrões” de Tapera
Não é comigo
Datafolha ranqueia maiores torcidas brasileiras
O terceiro mandato de Lula
Copa 2014 a perigo

Arquivos

Agosto 2010 Setembro 2010 Outubro 2010 Novembro 2010 Dezembro 2010 Janeiro 2011 Fevereiro 2011 Março 2011 Abril 2011 Maio 2011 Junho 2011 Julho 2011 Agosto 2011 Setembro 2011 Outubro 2011 Novembro 2011 Dezembro 2011 Janeiro 2012 Fevereiro 2012 Março 2012 Abril 2012

 

 

 

WM INTERNET