ff

Blog do Sarico - (54) 8135 1778 - fabiocrestani11@gmail.com
terça-feira, 3 de janeiro de 2012
Dr. Rodrigo está indo embora

O juiz diretor da Comarca de Tapera, Rodrigo de Azevedo Bortoli, está deixando o município. Depois de 13 anos a frente do Fórum local, está trocando Tapera por Lajeado, onde assumirá a 1ª Vara Criminal no dia 22 de março.


O Dr. Rodrigo assumiu a Comarca taperense em 23 de outubro de 1998, aos 28 anos, vindo de Alegrete, sua primeira Comarca. Em 14 meses naquele município ele presidiu o Tribunal do Júri em 25 oportunidades.


O magistrado entrará em férias em janeiro deixando a Comarca nas mãos da colega Greice Witt, de Não Me Toque. Ele não sabe quem o sucederá em Tapera, uma vez que ainda não foi definido o nome de seu substituto. Sabe que o novo juiz deverá assumir entre março e abril. Segundo o Dr. Rodrigo, alguns colegas seus já pediram informações sobre o município de Tapera, querendo saber sobre o trabalho aqui e a vida na cidade.


Conversando com o Dr. Rodrigo lhe pedi sobre como deixa a Comarca. Ele disse que não ficará um único processo pendente de decisão e/ou sentença para 2012, estando a Comarca rigorosamente em dia.


Também lhe pedi se deixou de fazer algo em Tapera. Ele respondeu que, quanto ao trabalho, não tem qualquer frustração em relação àquilo que fez durante estes mais de 13 anos, pois foram de dedicação total e plena. “Uma vez disse a um amigo ou colega que cuidava de Tapera como se fosse (e assim efetivamente sempre foi) a minha casa e de seu povo como se fosse o meu (e assim também o foi), então estando sempre atento e buscando as melhores soluções (muitíssimas vezes concebidas antes de o dia nascer e/ou durante os finais de semana). E neste ponto destaco a condução do processo falimentar do Curtume Mombelli (que permitiu a manutenção da atividade econômica, o pagamento de todos os créditos trabalhistas – já há muito tempo e a apuração de um patrimônio que deverá permitir a satisfação de todos os créditos fiscais – União, Estado e Município) e a política criminal desenvolvida, que faz com que, há muito, Tapera não tenha um – efetivo e relevante – incremento de criminalidade (quantitativa e qualitativa). Por outro lado – pessoal, apenas lamento não ter saído daqui campeão estadual de futsal com o América, mas nesta seara também aprendi a valorizar outras conquistas, pelo que saúdo as campanhas de 2010 e 2011 e comemoro muito o retorno à elite do melhor futsal do Brasil (que certamente este ano voltará a ser do RS, que havia perdido tal condição para SC e SP) , pelo que me manterei vinculado ao América, uma das formas de também me manter vinculado ao povo e à cidade”, disse.


Falando sobre Tapera o Dr. Rodrigo disse: “Adorei este lugar e curti seu povo (embora ache que às vezes fala demais – inclusive daquilo que não lhe interessa ou sobre o que não sabe – e diverge demasiada e desnecessariamente), com Tapera sendo para mim (hoje e sempre) um lugar especial, destinatária de muito afeto, agradecimento e reconhecimento, até porque apenas em minha cidade natal permaneci por mais tempo. E, tal como formalmente conferido a mim há alguns anos, sinto-me mesmo um taperense – do que muito me orgulho”, disse.


Também lhe pedi o que deixaria Tapera melhor. “Gostaria de ver Tapera com um projeto de desenvolvimento diferente dos das demais cidades, algo que a diferenciasse de verdade, como por exemplo, uma radical educação e política de separação e reciclagem de lixo, outro modelo de transporte – assentado no uso da bicicleta, na consolidação de uma identidade com o esporte e com as artes (em suas mais diferentes formas de manifestação), na proliferação de espaços públicos (praças, recantos, praças esportivas, áreas verdes, etc..), na valorização da convivência entre as pessoas, em um clima de maior fraternidade e integração, ou seja, onde aquilo que é chamado de ‘pequenas coisas’ fosse nosso – real e maior – diferencial de desenvolvimento, de vida e, então, de felicidade”, concluiu.


O Dr. Rodrigo de Azevedo Bortoli mudou a imagem que o taperense, e o brasileiro em geral, tem do judiciário, de ser fechado e como tal são seus integrantes. Isso foi mudado porque o magitsrado se envolveu intensamente com a comunidade, mais especialmente com o América.


Aliás, esta questão do “fechamento” do judiciário é algo que o Brasil discute hoje, mas que não pode ser aplicado em Tapera. Nos anos 70, lembro, ninguém olhava para um juiz de medo e eles como tal não olhavam para ninguém e muito menos cumprimentavam as pessoas. Nos anos 70, tínhamos um campinho entre a Delegacia de Polícia e a residência dos magistrados, onde nos reuníamos nos finais da tarde para jogar até o sol desaparecer. Nos finais de semana a coisa começava no sábado de tarde e ia noite adentro. No domingo era a mesma coisa. Lembro que jogávamos fazendo força para que a bola não fosse em direção a residência do juíz, que não tinha cerca. Existia um muro baixo, sem grades. Um dia a bola foi parar lá dentro do pátio. Foi um pânico geral entre nós. Todo mundo se olhou como que dizendo: “e agora”. Lembro que alguém gritou alguma coisa lá na casa, mas não entendi o que. Pensei o pior que estava vindo. Dali um pouco saiu de lá o juiz, vestindo uma camisa de mangas curtas, uma bermuda bem apertada e um chinelo de couro, tudo branco. Na mão esquerda ele trazia um banquinho e na direita a térmica e o chimarrão e nos pés rolando, a nossa bola. Ele sentou na grama, de frente para nós, encheu o mate e nos atirou a bola. Ninguém entendeu, pois naquele tempo juiz era alguém vindo de outro planeta. Demoramos um bom tempo para nos situarmos. Hoje, ainda existe esta resistência, mas ela é bem menor, principalmente no interior. E o Dr. Rodrigo ajudou a desmistificar isso.


O Dr. Rodrigo deixará muitos amigos em Tapera. E a mim impressionou a sua inteligência, a sua cultura e o modo como coloca as coisas nas suas falas. Não tenho dúvida que ele galgará todos os cargos da magistratura no Estado.


O Dr. Rodrigo deixará Tapera com a certeza de ter feito um grande trabalho aqui. Parabéns!

Postado por Sarico as 22:17 e tem 7 comentarios
7 Comments:
Anonymous Anônimo disse...

Muito Obrigado por tudo Dr Rodrigo.

José Dahmer
Pres. do Consepro de Tapera.

4 de janeiro de 2012 01:48  
Anonymous Anônimo disse...

é uma pena Tapera perder um magistrado do gabarito do Dr. Rodrigo, será difícil substituí-lo!

4 de janeiro de 2012 08:53  
Anonymous JAISON disse...

Vai fazer falta aqui Dr., pela parceria, companheirismo e principalmente no incentivo que sempre deu aos atletas. Valeu. Grande abraço e boa sorte nesse novo rumo em sua vida.

4 de janeiro de 2012 08:57  
Anonymous Rafão disse...

Com certeza vai fazer falta.
Tapera estará sempre de portas abertas para ele.

4 de janeiro de 2012 14:20  
Anonymous Anônimo disse...

com certeza uma grande perda para o municipio de tapera, mais especificamente, para o America, este sim era um dirigente que todas as equipes gostariam de ter,

ass
alguem da AGSL... 2010

4 de janeiro de 2012 22:19  
Anonymous Anônimo disse...

Queria dizer que Tapera perderá um grande proficional, e uma grande pessoa. um abraço vamos sentir falta do amigo.


Cire Sander

4 de janeiro de 2012 22:20  
Anonymous Anônimo disse...

Uma pena que em algumas decissões (sentencas), deixou dúvidas quanto a forma de fazer justica.
Nelson Antonio

4 de janeiro de 2012 22:57  

Postar um comentário

Voltar ao blog



Posts mais recentes Posts mais antigos

 
Google
 

?timos Posts

Pipe assume legislativo taperense
Dilma é o espelho das poderosas
Líderes dos países europeus prevêem 2012 mais difí...
Campanha tira das ruas 37 mil armas
PF apurou desvios R$ 3,2 bilhões em 2011
Ficha Limpa
Da série como é que pode?
América: contratações continuam
O taperense amigo de Dilma
2012 está vindo ai...

Arquivos

Agosto 2010 Setembro 2010 Outubro 2010 Novembro 2010 Dezembro 2010 Janeiro 2011 Fevereiro 2011 Março 2011 Abril 2011 Maio 2011 Junho 2011 Julho 2011 Agosto 2011 Setembro 2011 Outubro 2011 Novembro 2011 Dezembro 2011 Janeiro 2012 Fevereiro 2012 Março 2012 Abril 2012

 

 

 

WM INTERNET